quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Para onde vamos...?



A vida é engraçada. A gente vive correndo, vive tentando, vive sonhando, vive querendo...

As vezes a gente vive a vida... As vezes parece que a vida é que "vive" a gente... Noutras, a gente simplesmente vive... Sobrevive... Mas ainda assim, acho que todos tem desejos, vontades, sonhos...

Sonhos... A gente sonha muito. Todo mundo sonha. Sonhos de projetos. Objetivos de vida. Uns mais, outros menos, talvez... Muitos sonham sempre. Outros deixam sonhos pelo caminho, conforme o tempo passa, as dificuldades pegam e os sonhos vão ficando mais e mais para trás... Esquecidos na poeira da estrada, do caminho rochoso, da realidade cotidiana...

A gente vive apostando em coisas... As mais diversas coisas. Coisas e pessoas. Tentativas... Talvez também sonhos e objetivos, porém diferentes. Mais reais. Mais urgentes. Mais cotidianos.

As vezes vejo (sempre vejo) o quanto é difícil "agradar" a alguém. Seja quem for. Amores, família, filhos, amigos, colegas, vizinhos, o que for... Cada um tem seus "níveis" de exigência, expectativa, gostos e desgostos. E de repente, lá estamos nós, com nossa pequena vidinha mundana atravessada no meio da vida de tantas outras gentes que, em contrapartida, também se entrelaçam na nossa e nos fazem sorrir, sofrer, rir, chorar, querer ganhar, ir em frente, ou apenas parar, sair correndo, voltar pra cama...

Como é importante a SOLIDÃO...!! Não, não aquela que dói... Mas aquela que nos damos o dúbio direito de querer, para fazermos o que queremos - ou não fazer absolutamente NADA, se isso for o que quisermos... E nem sempre (aliás, acho que quase nunca) nos dão o "direito" a isso... Sempre tem alguém nos querendo e requerendo... Pai, mãe, filho, filha, namorada, chefe, amigos, clientes, o que for...!!

A correria da vida - mesmo quando o sujeito, a pessoa, NÃO tem vida (figurativamente falando, claro) - sempre nos impõe vertentes, dilemas, escolhas, coisas que devemos fazer, escolher, optar para agradar a outros. Em última instância, a nós mesmos também, claro... Mas daí é que vem alguns dos problemas que cada um tem: as escolhas que fazemos...

E onde ficamos NÓS...!? Onde vai parar o que NÓS, cada um de NÓS, queremos... Onde vai parar o que EU quero no meio de tanta coisa...

Não gosto ou tento não ser pessoal nos meus textos e delírios de escrever, mas como "não ser" pessoal no que é MEU mesmo, nos meus pensamentos e, como já disse, delírios dos meus "achismos" de vida, que são parte inerente so que sou, do que eu penso, do que eu quero e de como eu vejo essa coisa maluca chamada VIDA...?!?

E por falar em vida e tantas outras coisa que acabei de falar, as vezes fico pensando se tudo vale tanto assim o esforço que se coloca... Sim, porquê a gente coloca uma força, uma energia imensa (acho eu) nas coisas que queremos e as vezes até nas coisas que não queremos exatamente, mas que as pessoas que estão ao nosso redor querem... De novo, pai, mãe, filhos(as), namorados(as), etc...

Acho engraçado como todo mundo puxa brasa pro seu assado. TU sempre é o errado, o tosco, o que não presta, o que se atrasa, o que não pode falar (senão vão pensar mal de ti... MAIS???????????) e outras coisas...!!

Parece que a gente tem que estar sempre a disposição para viver os sonhos e desejos dos outros, mas os outros não podem nem devem (nem querem) viver os sonhos ou desejos da gente... Será que somos assim também...? EU, que penso assim dos outros, não serei assim também eu...?!? Provavelmente, porque estou inserido no contexto (social) e não seria diferente do resto da Humanidade... OU, em sendo, eu seria um ET, um louco, um visionário ou apenas um "abobado das idéias", como diz o outro, talvez apenas ignorado, talvez apenas "digno de pena", talvez apenas incompreendido por ser incompreensível...

Sabe... acho que as vezes filosofo demais. Talvez devesse ter tirado FILOSOFIA ao invés de perder quase quatro anos em LETRAS e depois igual número de anos em PUBLICIDADE... Sendo que nem uma nem outra me deram guarida... Nem uma nem outra me dão VIDA, hoje...

Claro que, humano que sou, estas coisas, estas passagens, ajudaram a criar o eu que eu sou, mas... hoje, acho que penso tanto e tenho uma NOÇÃO tão (as vezes) particular da vida, das coisas como são, que é de meus achismos arqueológicos e sociológicos que eu faço a interpretação de tudo que vivo e da vida que vejo ao meu redor...

Mais ainda, convivendo com o "mundo digital" da internet de hoje em dia, se percebe muito mais claramente as carências afetivas, as necessidades de atenção, as coisas que são pitorescas na maioria das pessoas - principalmente as contradições, as necessidades de exposição pelo pequeno, o rápido e imediato "apego" a qualquer um que se apresente como "o mais novo melhor amigo de infância" ou algo que o valha...!! Em contrapartida, a superexposição mostra as contradições, as falhas (as vezes até de caráter) das pessoas...!!

Enfim, onde eu me encaixo em tudo isso?? Onde cada um se encaixa?? Bem, uma resolução final bem fácil e simplista seria dizer que "não me encaixo" ou que "ninguém se encaixa em nada" ou ainda que "cada um faz seu caminho, suas escolhas" e daí morre o Neves (será que esta expressão está ligada ao antigo presidente que morreu?? Nunca soube!) e fica tudo como está...!

Buenas, pra finalizar, eu digo que eu vivo minha vida - HOJE - já sem muitos sonhos (voltando ao princípio do meu texto), porque perdi muito da credibilidade de tudo (ou será que "enlouqueci"?) ao longo do caminho... Ainda tenho algumas esperanças de coisa ou outra, mas "grandes sonhos", grandes projetos, etc... não tenho mais... Desencantei.

E fora ter "desencantado" também meio que me larguei nas cordas das desilusões do tempo... Hoje, percebo, mais ainda, o quanto tudo é difícil e o quanto a gente (no caso, eu...) tem que tocar um dobrado pra viver o dia-a-dia, pra deixar mãe feliz, namorada feliz, filha feliz, amigos felizes, e todo mundo mais que cria ALGUMA expectativa em cima de ti (no caso, de novo, eu)...!! Não é mol...

Hoje me sinto um sobrevivente numa selva de pedra, com tudo ao meu redor. Não sei se tudo inteiro ou tudo desmoronando... Se tomar como base meu apartamento em sua "eterna" não-finalização, em sua diária improvisação e desarrumação arrumada, acho que tá tudo mais pra decadente e desmoronado do que para inteiro mesmo...

Não consigo finalizar porque mais idéias me vem à mente... Não sei se minha vida não se desconstruiu ao longo do tempo, dos anos, ao invés de se construir, com em qualquer vidinha de novela e mesmo nas vidas daqueles amigos que se dão bem, daqueles vizinhos onde TUDO parece dar certo e ser "melhor" que com a gente - ao menos que comigo...

E me pergunto... Onde eu errei...? Onde erram todos que fazem bobagens? Onde erram todos que fazem "merdas" em suas vidas - ou nas suas vidas interagindo com os outros (sejam eles pais, filhos, conjuges...)? Aliás, será que eu erro tanto...? Errar eu sei que erro, diariamente... Mas, pôxa, eu VIVO tentando fazer o BEM, fazer coisas boas para as pessoas, as vezes até ME ferrando para fazer isso, mas buscando algo bom, coisas boas, enfim... E mesmo assim NADA parece correr em um sentido "construtivo"... Tudo parece sempre estar oscilante como uma linha sinuosa de altos (ou médios) e baixos...

Chega... Nem sei mais o que falar. Se é que sei o que estou dizendo. As idéias fluem em minha mente inquieta. Querem sair. Querem fazer "dar certo"... Querem fazer "acontecer"... Mas as vezes é difícil, quando as pessoas mais importantes à minha volta só me desacreditam...

Vai ver que eu os fiz assim. Eu os criei, em minha mente, deste jeito. E eu os construí, com minhas ações e verbalizações...

Vou dormir...

. Buzz (MSC) ☆

2 Comments:

Blogger TÂNIA CAVALHEIRO said...

Buzz, serão os novos tempos que nos fazem meio que pirar?
Vivemos num mundo carregadode meios de aproximar as pessoas e tudo o que acontece é mais afastamento...Dá um certo medo!
Texto fantástico!

10/20/2010 07:42:00 AM  
Blogger mstela25 said...

Experimentar a solidão requer coragem. Ceder a si mesmo a disciplina do silêncio exige o desapego.

Li os teus textos, como sempre, escreves com a alma. Posso não concordar com todas as tuas formas de pensar,no entanto, reconheço que és um ser humano ímpar.

Beijos
Stela

1/05/2011 09:32:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home