quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Os Fantasmas, o Maestro, o Gato e o Disco...

Poltergeist - O Fenômeno é um filme de 1982, dirigido por Tobe Hoper e produzido por Steven Spielberg... Sim, ele mesmo.

Quase todo mundo conhece... É aquele filme "antigo", onde aquela menininha loirinha (quase albina), que atendia (no filme) pelo nome de Carol Anne, conversava com espíritos na TV de sua casa em um condomínio. Depois se descobre que o condomínio esse fora construído em cima de um antigo cemitério e que não haviam tirados os corpos de lá e sim apenas as lápides...!!!

O resultado é uma revolta dos espíritos, algo assim, que faz todo o fuzuê do filme, onde a pequena Carol Anne é inclusive levada para o "outro lado", o mundo dos espíritos, devido ao seu alto poder mediúnico...


Isto posto, só queria dizer que Poltergeist é um filme que gosto muito. Sempre gostei dele. Por ser um filme de "terror" (até muito leve, hoje em dia...) e por ser um filme cheio de efeitos especiais que, na sua época, foram de tirar o fôlego...!! Também, porque é um filme emocionante, cativante, familiar... Como não se identificar com aquela família? Como não "sofrer junto"? Como não se apaixonar pela pequena Carol Anne??


Buenas, no final tudo se resolve. O amor da família vence tudo e o bem triunfa. Uma mensagem com moral, do seu patrocinador local:
o Tio Sam e seu American Way of Life...! ;o)

Na época do lançamento do filme eu me tornei um fã. Colecionava todas as informações que podia sobre o filme, tudo que existia sobre ele, numa época pré-internet, onde toda e qualquer informação era garimpada e encontrada com muito custo...!

Mas o que mais impactava no filme, o que ajudava nos muitos sustos e em sei lá eu quantos momentos de emoção, suspense e terror mesmo, era a trilha dele, magnificamente criada e orquestrada pelo maestro e compositor de cinema Jerry Goldsmith (o qual me tornei, obviamente, fã depois deste filme)...

Jerry Goldsmith já é falecido. Morreu em julho de 2004 - data triste esta que só me atentei agora... Eis que, por isso, vim aqui relembrar a trilha de Poltergeist - possivelmente minha preferida do velho Jerry... Se bem que acho muito difícil de estabelecer UMA preferida, em se tratando das partituras dele...

Quando saiu a trilha de Poltergeist, eu comprei e passei a ouví-la bastante em casa. Me tornei também um fã do compositor desde então, como disse antes... Já gostava algo de música clássica e já começava a me interessar por trilhas, então foi bem fácil. E daí pra frente, só ficou "pior", rsrsrs...!! ;o)

Lembro que um dia, uns 10 anos depois, lá por 1994, levei meu disco, um LP (lembram dos "LPs"...?!?), na casa da minha então namorada. Ela se interessou em ouvir e eu achei legal mostrar pra ela a emocionante trilha, que ela não conhecia...

Uma vez lá, disco tocando, aquela coisa toda, o gato dela (sim ela tinha um gato...) pulou desavergonhadamente sobre o toca-discos que, aberto, fez a agulha pular naquele "famoso" barulho de "agulha-arranhando-disco"...! Resultado, sim, óbvio: meu disco ficou todo arranhando, para meu mais completo desespero...!!! :oO

Fiquei desolado... A namorada até se ofereceu para me pagar outro disco, mas nem era só este o caso... Aquela trilha era de estimação, de coleção, de coração, enfim, pra mim, quase um item de colecionador! E não teria mesmo como "repor" o disco, até porque era um álbum de 10 anos e muito provavelmente já estava fora de catálogo. Seria quase impossível conseguir outra cópia. Poderia se tentar em lojas de trocas e vendas de discos usados, mas um álbum como aquele meu, em excelente estado de conservação e uso, como eu cuidava, seria impossível...! Enfim...

Não lembro nem como nem quando, mas tempos depois acabei conseguindo comprar outro disco da trilha... Desta vez uma cópia "importada", norte-americana, original. Muito boa, também. Uma preciosidade, claro, em se tratando de um artigo "importado"... Felizmente, estava em ótima qualidade também, a capa, as informações, eram basicamente as mesmas, mas sei lá... tinha algo de diferente. Não era a mesma coisa que o meu, antigo, agora todo arranhado pelo maldito gato...

Coitado do Kaddish (esse era o nome do gato...), o bichano nem tinha culpa... Ele só fez o que qualquer gato faz, pular em cima das coisas...! Só que eu dei azar de ele pular na hora errada e no lugar errado... Eu é que deveria ter fechado a maldita tampa de proteção do toca-discos...! :o(


Bom, resta dizer que o segundo disco jamais saiu de minha casa...!! E hoje, tanto anos que nem sei mais o que é um toca-discos, ele segue guardado aqui, incólume, impávido feito um colosso, como dizem. Guardadinho!

Voltando ao Maestro, acabei conseguindo outras trilhas importadas dele, como Runaway, Supergirl, Lionheart, e mais algumas... Toda excelentes! As minhas preferidas dele, num geral, além de Poltergeist, são, Star Trek (Jornada nas Estrelas), The Omen (A Profecia), Underfire (Sob Fogo Cerrado), Chinatown e Planet of the Apes (Planeta dos Macacos).

Difícil definir, mas Poltergeist sempre pareceu a melhor para mim. A mais tocante, a mais apavorante, a mais interessante... Eu sempre a colocava quando ia escrever - em uma época que eu escrevia coisas diversas como contos, crônicas, em meus delírios adolescentes de querer ser escritor...! :o)

Faz tempo, agora, que não ouço mais nada... Nem tenho mais toca-discos a uns bons 10 anos... Dá saudade só em pensar nas minhas trilhas, paradas numa caixa, ensacoladas para proteger da poeira e da ação do tempo... E mais ainda sendo trilhas de Jerry Goldsmith... o velho Goldy, como eu me referia a ele, que hoje, também, já virou estrela no firmamento...

Certos charmes e prazeres parece que não voltam mais mesmo...

B.


(esta imagem abaixo foi de uma homenagem que eu fiz, na época do falecimento do Maestro Goldsmith, em um FLOG que eu tinha...)

1 Comments:

Blogger CellyOneill said...

Buzz, também admiro muito o trabalho do Jerry Goldsmith,que conheci dos trabalhos para ST...agora sinto te dizer que não resisti a umas boas risadas quando li a passagem sobre o bichano, fiquei imaginando a cena !
E falando no Poltergeist também assisti no cinema e quase tive um treco na época, fui com o namorado e coitado, quase saiu sem braço da sessão, hahaha, de tanto que agarrava o pobre coitado durante as cenas de susto ! Faltou vc contar um pouquinho das lendas urbanas que cercam o filme !
Beijos !

10/04/2007 11:07:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home