sábado, 25 de novembro de 2006

Chatinho...

Eu sou "chatinho" segundo a minha filha... Vindo dela, não sei se é realmente "dela" ou reproduções em anexo do pensamento coletivo da casa - ou seja, da mãe dela....

Dito isso, ela me chama de chatinho quando me espanto em não ter participado do processo que ela me avisa: que vai tentar novamente fazer a prova de seleção (algo como um vestibular infantil) para o Colégio Militar, que ela e a mãe estão (estiveram) empenhadas em fazer se tornar realidade...

Este ano já não deu. Ela estudou o ano todo e... não passou... Ficou numa boa colocação, sim, é fato, mas não entrou... E agora, já sabendo disso, coisa e tal, me informou, hoje - ela, minha filha -que "ela e a mãe" decidiram que ano que vem tentará de novo....

Nada contra, só que (destesto "só quês"...), bem, só que eu não participei desta possivel decisão de "futuro" para o ano que vem... E então, segundo minha filha, eu não participei porque "sou chatinho"... Porque eu, supostamente, "não iria querer"...

E talvez não fosse mesmo a favor, porque ano que vem minha filha fará a 6ª série e se fizer de novo o concurso pro Colégio Militar, teria que voltar DOIS ANOS para trás... :oP
Nunca gostei dessa coisa de repetir de ano... Não me soa bem - nem mesmo por um "propósito maior" que seja esse de ela entrar (ou tentar) no Col. Militar...

Buenas, à saber, não gosto da sistemática militar - senão de "brincadeira" para meu personagem-alterego "Marshall Oak, o Capitão das estrelas... Mas isso é brincadeirinha.... Para minha filha, EU almejava um estudo, uma sistemática, uma didática, diferente, mais HUMANA, e não tão militar.... MAS..... (e eu detesto "mases" também...) a mãe de minha filha gosta.... E sozinha e/ou com a criança, decide tudo sozinha.....

"E eu?" (no caso, "E tu?"), alguns de vocês talvez se perguntem.... Bem, e eu...?? E EU QUE ME DANE....!! :oS
Afinal de contas eu sou "chatinho", eu sou o "erradinho", eu sou quem não precisa participar da vida da filha...! Qualquer hora dessas vai ser como nas novelas... Ela vai chegar, me olhar e dizer: "Pai, transei", "Pai, tô grávida", "Pai, sou gay", "Pai, vou morar com o Tonhão" - ou qualquer coisa do gênero e eu vou ser o "último a saber", como marido corno....

No caso, não sou marido nem sou corno.... mas sou "pai".... e um pai "chatinho"... logo... melhor me deixar fora de tudo, né???

Um dia a casa vai cair.... e eu só espero não estar embaixo, porque o pó vai ser grande...!! :oP

1 Comments:

Anonymous CellyOneill said...

Oi Buzz !
É mesmo muito complicado cuidar de um filho estando em casas separadas...meu filho morou com o pai 03 anos e pude sentir na pele esse tipo de situação que mencionou, de se sentir em um mundo à parte nas decisões importantes.Para mim foi uma boa experiência pois agora tento não repetir o mesmo com meu ex marido, já que o meu filho agora voltou a morar comigo.
Buzz, torço para que o melhor aconteça.
Beijos !!

11/26/2006 12:41:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home