sábado, 11 de agosto de 2012

Meu Pai... Uma mensagem de Feliz Dia dos Pais


Amanhã é Dia dos Pais... Meu velho não está mais aí pra eu dizer a ele o quanto o amava... E o quanto aprendi isso talvez "tarde demais"... Hoje estou mais ou menos na idade que ele tinha quando eu nasci...
.
Vivi com ele até os seus 72 anos e uma das coisas me confortou em sua passagem foi pensar que ele viveu uma "grande vida" e uma "vida grande"...! À época eu achava que 72 anos já era muita coisa...! Hoje, minha mãe tem 86 anos (completos agora 31 de agosto) e ainda está cheia de vida, saí pra rua, vai ao banco, ao súper, tri na boa...
.
Hoje eu vejo que meu pai poderia ter vivido mais, não fosse os problemas médicos que tinha e teve, e que de alguma forma abreviaram sua estada aqui... E nisso, ele se foi lá se vão 17 longos anos, numa noite fria de 1994... Um ano antes de minha filha nascer e eu, então, me tornar pai também... Meu pai teria gostado de conhecer minha filha... Lembro que eventualmente falávamos disso, eu, ele, minha mãe. Meu futuro, casar, ter filhos... Ele não viveu para ver isso.
.
Lembro que brigávamos muito, discutíamos, na verdade. Eu nunca fui um adolescente problema, mas tínhamos nossas diferenças, como é normal... Hoje, acho que poderia ter sido um filho melhor (coisas que só o tempo faz a gente pensar) - talvez se também tivesse tido algum outro tipo de incentivos ou vivências na época, que talvez não tenha tido...
.
Meu pai era um homem simples, mas dotado de uma sabedoria do tempo... Veio lá do sul do estado, fez sua vida no mundo da medicina e do esporte, sendo enfermeiro, massagista, kinesiólogo e por fim parte da equipe médica de vários times de como o Brasil de Pelotas, o Renner e finalmente o Grêmio de Porto Alegre, até se afastar do futebol... Meu pai foi de um tempo que todo mundo era mais ou menos igual e jogador de bola não ganhava milhões, como hoje... Não ficou rico (bem longe disso) mas conseguiu ter uma vida relativamente boa. Sempre vivemos bem, moderadamente, mas sem grandes necessidades, como ele teve durante a infância, adolescência, e mesmo na vida já adulta, com meus irmãos...
.
Depois de sair do Grêmio, montou sua clínica de fisioterapia e massagens e continuou sua luta e escalada de sucesso pessoal (mas sem glórias de jornais e revistas, agora), mesmo sendo considerado um "milagreiro" na "arte" de curar as pessoas... Realmente, meu pai tinha o dom de cura nas mãos. Era devoto de São Jorge, que hoje eu também enalteço...
.
Meu pai dizia que torcia para o Inter, pois saiu magoado da equipe do Grêmio, por causa de uma recusa de um aumento de salário (ínfimo para os padrões da época) por um membro da Diretoria, mas morreu torcendo para o mesmo Grêmio, seu time do coração, eu bem via e sabia, mesmo ele disfarçando... Aliás, morreu também fumando suas "baganinhas" escondido, pois fumava desde os 12 ou 15 anos e tinha problemas justamente de enfisema e dificuldade para respirar - o que finalmente o tirou desta vida...
.
Meu gostava de desenhar campos, cerquinhas, vaquinhas e "marias-fumaça" em seu pouco talento de desenhar (mas, empenhado, sempre tentava!!)... Paisagens bucólicas que certamente o remetiam a histórias de infância e juventude... Ah e navios também, mas acho que ele nunca chegou a viajar de transatlânticos. Este era apenas um sonho, talvez...
.
Meu pai era como eu, muito CORAÇÃO, muito emoção, (daí vem meu lado emocional, por certo) mas também sabia ser durão e era um lutador (em todos os sentidos). Não tinha medo do perigo, de nada.... Era um bravo. Não fugia de uma luta, fosse pra defender quem fosse, tanto que tinha a cartilagem do nariz quebrada, de uma briga em priscas eras, quando jovem...!
.
Meu pai gostava de praia, de cavalos, de cachorros e gatos, e de cantar "o sapinho que não lava o pé" mas "em espanhol", que era mais divertido!! E fazia eu e minhas sobrinhas chorar, quando éramos pequenos, cantando outra música que dizia algo tipo "...mas quando eu for bem velhinho, bem velhinho de usar um bastão, eu ei de ter um netinho ah... pra me levar pela mão"...! Eu e minhas sobrinhas nos escondíamos para chorar e para não ouvir mais esse triste lamento musical, que nos cortava o coração!!
.
Meu pai conheceu parte do "velho mundo" (a Europa, com viagens do Grêmio), era querido por todo mundo e tinha fama de "paquerador"...! Gostava de fazer churrasco, ajudava sempre os amigos e parentes, e talvez seu "filho preferido" talvez tenha sido minha irmã mais velha, a primeira a nascer, que, talvez por ser mulher, era o xodó dele (hoje, eu como pai, bem sei disso)...!! Mas os "dengo" dele era o meu irmão do meio, que foi seu companheiro a vida toda, inclusive por anos a fio, trabalhando juntos... Uma parceria certamente invejável mas que eu nunca invejei, pq também cresci e vivi com meu pai até sua ida embora...
.
Meu pai gostava de cantar, mas não sabia muito. Meu pai gostava de violão, mas não tocava nada. Meu pai não me entendia e talvez não tenha me conhecido muito, mas talvez porque eu também era muito tímido, muito fechado; mas ele certamente me amava muito... Dos filhos, por ser o mais moço, a "rapa do tacho", eu era ou fui o que teve mais benécias ou regalias, "o melhor" que ele já podia dar àquela altura da vida (e mesmo que não tenha sido tanto assim como se possa pensar)...!!
.
Meu pai me protegia quando minha mãe brigava comigo, mas ele mesmo me batia o pelego quando brigava comigo!!! Ele tinha mão grande, e doía bastante (isso quando não era o chinelo ou a cinta "cantando")...!! Mas nem por isso eu virei um degenerado assassino, briguento ou maltratador de pessoas ou animais... Certas coisas são escritas certo mesmo por linhas tortas, como diz o ditado...!.Meu pai gostava de uísque, cerveja, vinho e caipirinha, mas tinha uma estranha predição por bebidas "bitter" (o seu velho "underberg-zinho"...) coisa que eu e minhas sobrinhas (que são quase da minha idade) nunca entendemos...!!!
.
Meu pai tinha receios de dar passos maiores que as pernas (segundo minha mãe...) e mesmo que não falasse muito, tinha lamentos visíveis da nossa família (a parte dele, os irmãos e irmãs dele) ser afastada e não ter muito contato... .Meu pai gostava de festas, gostava de Natal, ficava um pouco triste no Ano Novo e queria sempre estar com os filhos - coisa que nem sempre conseguia, porquê meus irmãos casaram, tinham suas outras famílias e compromissos, e isso deixava as vezes o pai meio tristinho...
.
Meu pai só não faz mais falta (e faz uma "burral" falta - como ele diria), porque ensinou e deixou no seu lugar uma substituta quase a altura: a minha mãe, que assumiu TUDO que ele, já no hospital, a "ensinou" para que ela assumisse a casa depois de sua morte...!! Hoje, minha mãe é um pouco pai também, e merece também meu beijo e abraço amanhã...!!
.
E amanhã também, eu receberei um abraço de minha filha, nesse dia que também é meu... Hoje, eu lamento também um pouco da distância que tenho de minha filha (adolescente, mora "longe" e tal...) e entendo MUITO talvez o que meu pai sentia enquanto EU crescia... E por isso eu termino esta mensagem em homenagem a ele, em lágrimas, misto de orgulho e saudade, misto de também tristeza de não tê-lo aqui e talvez também de não poder ser "O PAI" para minha filha...
.
De alguma forma, por algum motivo, eu acho que talvez tenha falhado... Com ele... Com ela... Mas se foi, eu me desculpo, porque não foi proposital... Algumas coisas - e a gente aprende isso com o tempo (Ah, o maldito tempo!!) - apenas são como são...!!
.
Feliz Dia dos Pais ao meu pai, onde quer que ele esteja, à minha mãe, ao meu irmão e ao meu cunhado (marido da minha irmã) e a todos os pais que eu conheço...! E se sobrar um tantinho pra mim também, mesmo que seja pequenininho, mesmo que seja quase esquecido, eu não vou ficar brabo... Ao contrário, vou ficar bem feliz e tenho certeza que lá onde ele estiver, se estiver (e eu e a mãe achamos que ele está, sim), certamente ele sorrirá e ficará feliz também...!
.
Valeu Pai... Queria que tu estivesse aqui para poder ouvir eu dizer... EU TE AMO (que eu acho que nunca disse)...!
.
Meu pai não era meu. Era nosso. Era do mundo... Um dia veio. Um dia foi-se. Talvez um dia nos reencontremos...! Se sim ou não, já valeu a pena mesmo assim...! :)
.
Marcelo
11/08/12 - 20:20h.
Buzz
(MSC)

1 Comments:

Blogger Corinna Rodrigues said...

parabéns...muito linda sua história.

8/05/2013 05:22:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home